Publicado 06/05/2015 10:07:53

Probióticos no Esporte

Os probióticos são microrganismos vivos

A prática esportiva requer muito do organismo, e os mais comprometidos são os estoques de nutrientes, levando o praticante a uma redução de sua performance caso a ingestão e posterior absorção dos mesmos não seja suficiente.

A alteração da flora intestinal com o aumento das bactérias patogênicas resulta na destruição de vitaminas, inativação de enzimas, produção de toxinas cancerígenas e destruição da mucosa intestinal, o que leva uma menor síntese e absorção de nutrientes.

Diversos atletas de alto nível, profissionais ou não, podem apresentar a flora do intestino alterada.

Os probióticos são microrganismos vivos, que administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro. Essa é a definição atualmente aceita internacionalmente.

O uso de elementos probióticos visa a melhoria da performance física do atleta

As principais aplicações de culturas probióticas são realizadas em produtos lácteos como leites fermentados e iogurtes. Podem ser adicionados como cultura única ou em conjunto com outras bactérias lácticas, durante ou após a fermentação, ou ao produto fresco antes de sua distribuição. E também comercializados em capsulas ou em pó.

Atualmente, os probióticos são utilizados em medicina humana visando prevenção e tratamento de doenças, regulação da microbiota intestinal, inibição da carcinogênese e em distúrbios do metabolismo gastrintestinal. As principais bactérias empregadas como suplementos em alimentos funcionais probióticos são as pertencentes aos gêneros Lactobacillus e Bifidobacterium.

Diversos estudos vêm sugerindo possíveis efeitos benéficos de culturas probióticas sobre a saúde do hospedeiro. Entre esses efeitos benéficos, merecem destaque: o controle das infecções intestinais, o estímulo da motilidade intestinal, com consequente alívio da constipação intestinal, a melhor absorção de determinados nutrientes, a melhor utilização de lactose e o alívio dos sintomas de intolerância a esse açúcar, a diminuição dos níveis de colesterol, o efeito anticarcinogênico e o estímulo do sistema imunológico, pelo estímulo da produção de anticorpos e da atividade fagocítica contra patógenos no intestino e em outros tecidos do hospedeiro, além da exclusão competitiva e da produção de compostos antimicrobianos.

Probióticos e Atividade física
Como já citado anteriormente, a prática de exercícios físicos exige bastante do organismo em termos de nutrientes, sendo que, se o atleta tiver uma alteração da flora intestinal, pode resultar no aumento das bactérias patogênicas e consequentemente na destruição de vitaminas, inativação de enzimas, produção de toxinas cancerígenas e destruição da mucosa intestinal, levando a uma menor síntese e absorção de nutrientes.

Exercícios extenuantes podem inclusive inibir a imunidade inata pela redução da proteção da mucosa do trato gastrointestinal, mas alguns estudos concluíram que a administração de probióticos incrementa o sistema imune da mucosa em atletas de elite submetidos a treino exaustivos. Ainda, estudos sugerem que os probióticos teriam a capacidade de modular o impacto na função imune que ocorre logo após o exercício físico.

Com isso, o uso de elementos probióticos visa adequar a microbiota intestinal garantindo uma ótima absorção dos nutrientes e melhoria da performance física do atleta.

Quer ter um PLANO ALIMENTAR INDIVIDUALIZADO? ligue e marque sua consulta: 2520-5881

Débora Perçu Martins
Nutricionista Clínica e Esportiva
CRN4 03100939


Comentários

Nenhum comentário nesta notícia. Seja o primeiro comentando abaixo!

Comente sobre esta notícia