x
Publicado 12/04/2018 07:58:29

RJ-130: Crateras proliferam na pista criando perigo total

RJ-130 é uma das principais rodovias da região

Marcello Medeiros / O Diário (Teresópolis)

Percorrer os 68 quilômetros de distância da RJ-130, que liga os municípios de Teresópolis e Nova Friburgo, tem sido uma verdadeira aventura nos últimos meses. Na maioria dos trechos da estrada, aliás, é mais do que se aventurar. É correr risco de vida. A estrada de grande importância turística e escoamento da safra de produtos do campo está em situação extremamente precária.

São centenas de buracos, alguns verdadeiras crateras que podem causar acidentes graves ou pelo menos danos enormes na suspensão de veículos de todo o tipo. Um dos pontos mais críticos, onde diariamente motoristas arriscam suas vidas, é nas proximidades do quilômetro 18, em Morro Grande, onde os enormes desníveis na faixa de rolamento, dentro de um trecho de curva e um grande declive, obrigam motoristas a, no reflexo, puxar a direção para a pista contrária em um ponto onde a visibilidade é ruim.

No último fim de semana, a reportagem ficou nesse trecho por cerca de dez minutos. Foi o tempo suficiente para flagrar diversas situações do tipo, momentos onde só não aconteceram colisões frontais porque os motoristas que seguiam sentido Teresópolis estavam atentos ou não havia ninguém “impedindo” a manobra daqueles que tocavam em direção a Nova Friburgo. Quem seguia o caminho normal ou freava bruscamente dentro da curva ou atingia violentamente o buraco.

Outro detalhe negativo nesse trecho é que, bem ao lado das crateras, aconteceu um pequeno deslizamento de terra que obstruiu o acostamento – que poderia servir de escapatória para os motoristas. Nesse caso, ficariam em risco, vale frisar, ciclistas e eventuais pedestres.

Atenção em toda viagem

Mas não é só em Morro Grande que o motorista deve ter atenção. Albuquerque, Vargem Grande, Bonsucesso, Vieira, Campo do Coelho... Difícil é citar uma localidade onde o condutor, de carro, moto ou caminhão não precisa ficar atento para não se envolver em acidente que pode ser até fatal. Além dos muitos buracos e pontos com desnível de pista, a falta de capina no acostamento esconde a sinalização, que já é bastante precária há anos.

Obra ficou na história

Um dos motivos de a RJ-130 estar nessas condições é o tempo que não é realizada uma grande intervenção no local. A última inauguração de obra de recapeamento e sinalização aconteceu em 1998, com a presença do então Governador Marcello Alencar.