x
Publicado 26/07/2016 16:00:06

Palavras que podem arruinar o seu currículo: entenda os motivos

Ser a candidata ideal para ocupar um cargo de trabalho não é uma questão de sorte. Há expressões que, num processo de seleção, te posicionam ou te convertem em apenas mais uma. Por isso, é tão importante saber quais são as palavras ou expressões que interferem na busca por um emprego. A seguir, os 6 termos mais odiados pelos recrutadores:

Palavras para evitar no currículo

1. "Assistente ou bolsista"
Há tendência de usá-los por duas razões: em primeiro lugar, para justificar uma evolução do seu perfil. Em segundo, se ajustar a denominação salarial do contrato com a qual se trabalhou. Porém, isso não revela reais responsabilidades da posição, portanto, é mais importante para indicar a verdadeira função executada com o termo júnior e indicar a coordenação à qual respondia e recebia suporte. Assistente soa demasiado vago e tem muitas conotações.

2. “Espirituosa, inteligente”
O único adjetivo que se permite é o profissional, que é a forma com que vai descrever a si mesma no resumo inicial, pouco antes de especificar a sua área de atuação. Tente evitar descrições pessoais que, além de dispensáveis, muitas vezes são vazias de significado e, em vez disso, revelam dados sobre sua personalidade sem contribuir em nada para o seu perfil profissional.

3. “Proativa, motivada”
Essas são duas qualidades que todo líder quer na sua equipe. Tente, porém, dar a entender que você possui essas duas habilidades por meio de ações. E, se você considera oportuno incluí-las, as acompanhe com dados que as deem valor. Por exemplo, inclua entre as suas responsabilidades a tomada de decisões e a iniciativa pessoal.

4. “Inovadora”
Aqui se aplica a regra dos adjetivos. Afinal, se você gosta de ser vanguardista na sua área, precisa procurar emprego em uma empresa decadente ou emergente. Se você tem uma grande capacidade de resposta e adaptação, use a qualidade de ser resiliente e se sua praia é a originalidade e o caráter artístico, diga que é criativa.

5.” Ampla experiência”
Mais uma vez uma expressão tão banal que soa mais falso do que verdadeiro. O seu potencial movimento se demonstra com exemplos e realizações com números. Substitua a expressão em seu currículo e use, em contrapartida, a indicação de certificados ou nível escolar que não deixa dúvidas sobre a sua "amplitude".

6. “Especialista”
Seja em finanças, comunicação ou engenharia aeronáutica. Se você coloca assim, é tão genérico que, em vez de deduzir que você sabe tudo sobre tal especialidade parece que você sabe tão pouco que não sabe como rotular. Identificar a sua qualificação profissional ou, melhor ainda, anexá-la ao lugar onde foi postulada é a melhor forma de indicar suas especialidades.

https://www.terra.com.br/