Publicado 20/06/2018 15:39:09

Glauber: "É mentira descarada que assinei CPI para matar a Lava Jato"

Glauber garante que objetivo da CPI é outro

O deputado federal Glauber Braga, de Friburgo, emitiu nota oficial nesta quarta-feira, 20, reagindo a uma publicação divulgada nas redes sociais - na qual seu nome foi incluído - de que seria favorável a "matar a Lava Jato", através de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

"Mais uma mentira! Tem uma turma que está se especializando em fake news. Circula um card com uma lista de deputados, entre os quais me incluem, que teriam assinado a instalação de uma CPI pra "matar a Lava-Jato". A mentira da vez não resiste a uma avaliação minimamente cuidadosa", reagiu. "Desafio os que plantaram a mentira a indicarem qualquer dispositivo na legislação brasileira que diga que é função de CPI por fim a processo judicial. Não encontrarão porque não existe. É mentira descarada. O objetivo de uma CPI é investigar e, se for o caso, encaminhar os resultados para o próprio Ministério Público avaliar a viabilidade de propositura de ação. Do que estão com medo?", acrescentou.

O político domiciliado em Friburgo explicou que a criação da referida CPI tem outro objetivo, muito diferente do que foi espalhado nas redes sociais: "A CPI, que de fato assinei, tem objetivo definido e se baseia em casos concretos. O jornal Estado de São Paulo publicou no dia 19 de maio a denúncia de que o advogado Antônio Figueiredo de Bastos receberia mensalmente 50 mil dólares como "taxa de proteção" para que pessoas não entrassem em delações. Isso não tem que ser investigado? A quem interessa a não investigação dessa denúncia?", indagou.

Ainda na nota oficial, Glauber destaca que "a blindagem de processos judiciais que estejam cheios de suspeitas e ilegalidades não combina com um estado democrático de direito".

E encerra: "Repito a pergunta que não quer calar: a quem interessa não investigar a ação de um advogado que estaria recebendo 50 mil dólares mensais em uma operação não explicada?".