x
Publicado 20/10/2018 19:13:29

Estado do Rio: 22 mil motoristas e motociclistas guiam com carteira de habilitação suspensa

Levantamento feito junto ao Detran, a partir de dados obtidos através da Lei de Acesso à informação, revela que ruas, avenidas e estradas do Estado do Rio de Janeiro contam com 22.535 motoristas e motociclistas irregulares. 

Todos tiveram suspensas, entre os meses de janeiro e junho de 2018, as Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs). O grupo está proibido de dirigir e de pilotar suas máquinas por um período que varia de 2 a 12 meses, dependendo da infração cometida .

Apesar da proibição, eles não entregaram os respectivos documentos ao Detran e supostamente continuam à frente de volantes e guidoms no estado.

O perigo não para por aí. Em 2018, além dos infratores suspensos, outros 2.010 condutores tiveram a CNHS cassadas, por determinação judicial ou por terem sido flagrados dirigindo com a CNH suspensa. Por conta disto, o grupo perdeu o direito a dirigir por pelo menos dois anos. Só após o fim do prazo de 24 meses, todos poderão voltar a requerer uma reabilitação, que só será expedida depois de aprovação em um curso de reciclagem. 

O levantamento mostra ainda que, entre os 9.435 motociclistas suspensos, conduzir veículo sob efeito de álcool, disputar rachas e a falta de capacetes, foram algumas das causas que levaram a perda temporária do documento.

Um total de 117 motoqueiros foi flagrado pilotando com sinais de embriaguez. Já 455 estavam sem capacete, enquanto outros 11 foram autuados administrativamente por envolvimento em rachas. A maioria esmagadora dos motoqueiros suspensos é do sexo masculino.

Já a maior parte dos 13.100 motoristas suspensos é da Região Metropolitana do Rio. Estão nesta situação, 10.570 condutores, enquanto outros 2.530 são do interior. Em 2017, 16.811 motoristas tiveram as CNHs suspensas no Rio de Janeiro. Deste total, 13.557 são da Região Metropolitana e 3.254 do interior.