x
Publicado 30/05/2016 12:31:57

Como o colarinho rouba seu bolso, além de boa parte do chope

Até para tomar um chopinho é preciso ficar esperto. Você pode estar pagando mais do que consumiu e bebendo mais espuma do que deveria.

Uma pesquisa realizada pela Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) mediu o volume de chope oferecido em bares no Rio de Janeiro. A conclusão? Alguns estabelecimentos servem menos cerveja do que o que foi prometido no cardápio.

O grande xis da questão está no colarinho.  O certo é colocar o chope até o limite de marcação da torre, e não contar o colarinho como parte da bebida.

A diferença pode chegar a quase um litro. Em um dos bares analisados, o cardápio assegurava 3 litros de chope, mas o real volume servido na torre era de 2,18 litros, quase um terço a menos do que o prometido. Dos dez bares analisados, três ofertaram menos cerveja do que deveriam.

O interessante é que, mesmo servindo menos chope, todas as torres vinham com indicação de volume à mostra. Ou seja, pode ser mais fácil do que você imagina controlar se você está sendo enganado.

O que fazer se vier chope a menos?

No boteco, se você se sentir lesado, tem todo o direito de pedir a complementação da medida de cerveja que falta. Você também pode pedir o abatimento proporcional do preço ou o seu dinheiro de volta. O importante é não pagar pelo que você não consumiu.

Se o bar se recusar a agir conforme essas orientações, tire foto do cardápio e da torre de chope para poder denunciar o estabelecimento em órgãos de defesa do consumidor como a Proteste e o Procon de sua cidade.

Fonte: http://exame.abril.com.br/