x
Publicado 28/06/2016 12:54:29

Sábado de homenagem, alegrias, emoções e música

Amigos fazem homenagem a João Carlos Côrtes Teixeira

Tributo de amigos inspira retomada do 'Banco do Poeta' como point cultural e Concerto da Real Banda Euterpe emociona seus familiares

Não eram ainda 15 horas, quando no sábado, 25 de junho, uma das alamedas da praça Getúlio Vargas - mesmo em meio a feira de artesanato - começava a receber alguns convidados para um ato muito especial. Naquela agradável tarde de inverno, prenunciavam momentos de muita alegria, ainda que também de lágrimas de emoção. Familiares, amigos e ex-alunos do poeta, professor, advogado e vereador João Carlos Côrtes Teixeira, se concentravam num dos bancos da outrora ‘Catedral dos Eucaliptos’ para compartilharem da inauguração da placa com o nome no homenageado, no banco que ele transformou em ponto de encontro com a Turma do ‘Galeria Bar'.

O ato, porém, acabou se transformando numa grande confraternização de reminiscências sobre a cultura friburguense, com diversos depoimentos e recordações de casos, protagonizados pelo homenageado e seus parceiros, muitos presentes ao ato, o que acabou por motivar o retorno da utilização regular do local como um ponto de encontros culturais, a exemplo de rodas de poesias, contação de histórias, entre outras iniciativas.
Também por sugestão de um dos irmãos do homenageado, Renato Côrtes Teixeira, os 'Amigos do Poeta João', que organizaram o tributo, pretendem manter, nas redes sociais, uma página para rememorar acontecimentos daquela época. Depois que ele começou a contar alguns casos, contemporâneos do poeta desfiaram uma série de acontecimentos, fazendo todos rirem. Mas também rolou de emoção. O professor e também poeta Irapuan Teixeira Guimarães, que era chamado por João pelo apelido de 'Garapa', foi um dos que não se conteve ao ler o poema de sua autoria 'Tributo ao poeta João Carlos Côrtes Teixeira', publicado na semana de seu falecimento.

Em muitos outros olhos era possível ver lágrimas emocionadas contagiando a todos. Muitos foram os depoimentos, iniciados pela trovadora e presidente da seção Nova Friburgo da União Brasileira de Trovadores. Elisabeth Souza Cruz também foi aluna de João Carlos e relembrou de sua época no Colégio Modelo e declamou o poema 'Pequena Biografia Poética'.
Depois falaram Silvio Poeta, que também declamou; o funcionário público aposentado, Paulo Sergio Cúrio, o Babá; seu irmão, o ex-bancário Paulo Murilo Cúrio e Graça Simões, da antiga livraria Simões, que promovia regularmente as 'Rodas de Poesia', que contaram durante muito tempo com a participação assídua do poeta falecido.
Também visivelmente emocionado, o professor, ex-vereador e ex-deputado estadual Carlos Guimarães, acompanhado da mulher, a professora Ledir Porto, fez questão de dar um depoimento sobre a importância do Colégio Modelo. Ele disse que sentia, naquele momento,
a comprovação do quanto aquele educandário foi importante para a formação de diversos gerações de friburguenses, inclusive a maioria dos que estavam presentes.

A TURMA DO ‘GALERIA BAR’

‘A idéia de promover o tributo ao poeta, surgiu de seus amigos, Maurício Borher e a professora Belkiss, que logo convidaram outras pessoas a se integrarem à ação, a exemplo da própria trovadora Elisabeth Souza Cruz e do jornalista Girlan Guilland que, através da Real Banda Euterpe Friburguense, juntamente com o Grupo de Artes Movimento e Ação (Gama), ainda então através do saudoso Jaburu, já realizavam um programa de instalação dessas placas referenciais de personalidades friburguenses, sendo que a idéia é dar continuidade com outros nomes de destaque da sociedade local.
Levando um exemplar do livro A Turma do ‘Galeria Bar’, de autoria do cineasta Carlos Bini, o vereador Gustavo Barroso também agradeceu pela oportunidade de participar daquele importante momento, e mostrou a antológica foto em que o autor do filme 'Geração Bendita (É Isso aí Bicho)', do qual João foi um dos atores e que se tornou um ícone do cinema cult nacional, está na capa da publicação junto a outros membros daquela confraria.
A secretária de cultura do município, Cristina Saccheto representou o prefeito Rogério Cabral e se referiu ao exemplo de personagens como o homenageado, falando da grata satisfação de Nova Friburgo possuir alguns outros interessantes ícones, principalmente de sua cultura e história. Cristina disse que são “exemplos que devem ser resgatados e valorizados, cada vez mais como referenciais de uma memória histórica e afetiva indispensável à Cidade”.
O ex-vereador Gilberto Salarini (autor do projeto que resultou na lei municipal 3.241, de 17 de janeiro de 2003, que dá o nome do poeta ao banco falou de sua satisfação com a oportunidade de ser sido o autor de tal proposta, sugerida à época por um grupo de amigos.
Ele disse ainda ver, com alegria, a lei sendo concretizada. Parabenizando os organizadores pela iniciativa, saudou amigos e familiares. Também o ex-vereador Benício Valladares, que exerceu mandato junto com João, fez questão de comparecer, assim como diversas outras pessoas.
Finalizando, o filho de João Carlos, Messias Neto, também leu um poema de sua autoria, em homenagem ao pai. E com lágrimas nos olhos contou que, aos 14 anos, ele o levou para o sítio da família e falou que passariam ali uns dias, para que ele pudesse escrever seu primeiro livro. Messias compôs, então, algumas poesias, que reuniu num livro (não publicado), quando o pai faleceu e leu uma dessas composições. Logo em seguida, junto a irmã, Monique, descerrou a placa, coberta com a bandeira de Nova Friburgo, sob aplausos de todos.

Real Euterpe e Tributo a Michael Jackson

Segundo concerto da série ‘Banda na Praça’, realizado pela Real Banda Euterpe Friburguense na ‘Estação Livre’, desde que o local deixou de abrigar a Estação de Integração prefeito César Guinle para ser o mais novo equipamento cultural da Cidade, a apresentação da agremiação musical foi dedicada por sua diretoria, maestro e músicos ao homenageado, que completaria seus 71 anos na véspera, 24 de junho. Nascido no Dia de São João, em 1945, ele faleceu no dia de São Sebastião, 20 de janeiro de 2001.

Sob a regência do maestro Nelson José da Silva Neto, quase 50 músicos, empolgaram o público com um repertório especialmente ensaiado para aquela noite que, apesar do frio, levou um considerável público - entre os quais os filhos, Messias e Monique, os irmãos Renato, Regina, Elisabeth e Judith, o cunhado Carlos Alberto, netos e sobrinhos do homenageado - à assistir a sesquicentenária agremiação musical friburguense.
Novos instantes em que os familiares não contiveram a emoção, que já haviam experimentado mais cedo, no tributo promovido por amigos do poeta, na inauguração da placa com seu nome, no banco que transformou em ponto de encontro.

Como já é uma tradição, iniciando pela execução do Hino de Nova Friburgo (música do maestro Sérvio Lago e letra do poeta Franklin Coutinho), o maestro conduziu a apresentação, constando ainda de composições, a exemplo de 'Saudades da Minha Terra', ‘Novo Tempo’, de Ivan Lins; ‘Sabiá e Arrastão’, 'Baila Comigo', 'Begin the Beguine’, de Cole Porter, bem como '13 DE DEZEMBRO', de Luiz Gonzaga, 'Gibraltar' (march) e 'In the Stone'. Para encerrar, 'Tributo a Michael Jackson' registrou os sete anos da morte, exatamente num dia 25 de junho de 2009, do astro pop norte-americano Michal Joseph Jackson.

O projeto 'Banda na Praça', pelo qual a Real Banda Euterpe se apresenta uma vez por mês, regularmente a cada quarto sábado, é realizado em conjunto com a Prefeitura, por intermédio da Secretaria municipal de Cultura cuja titular, Cristina Sacchetto, era uma das autoridades presentes. Além dela, também prestigiaram a apresentação, o secretário de Turismo, Nauro Grehs; o vereador Gustavo Barroso, o presidente do Conselho Deliberativo da Euterpe, professor e ex-vereador Jorge de Carvalho e a sócia mais idosa da banda, Helena Bravo.

Galeria de fotos