x
Publicado 15/06/2016 15:31:02

Dinheiro é a principal razão de brigas conjugais, mostra pesquisa

O dinheiro é a principal causa de DRs (discussões de relacionamento) dos casados, segundo uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). As discussões dentro de casa acontecem principalmente porque as pessoas discordam sobre a maneira que os cônjuges gastam o dinheiro. Esse problema foi mencionado por 37,5% das entrevistadas. A segunda razão para as brigas, com 31,5% de citações, é justamente a falta de dinheiro.

Os dois problemas foram mais lembrados do que outras questões importantes, como divisão das tarefas domésticas (25,7%), ciúmes (19,6%), a forma de educar os filhos (17,1%) e bebidas e cigarros (14,6%).

Ainda segundo o levantamento, três em cada dez (30,3%) mulheres entrevistadas costumam esconder dos pares as compras que realizam, principalmente roupas (11,5%), cosméticos (9,5%), comida (6,2%) e sapatos (5,4%).

A pesquisa ouviu 810 mulheres e procurou traçar o comportamento de compra das consumidoras brasileiras. As entrevistadas revelaram que as compras pessoais que envolvem os maiores gastos são as roupas e calçados (60,9%), seguidos pelos produtos para o cabelo (45,9%). Itens para os cuidados com a casa (39,4%), perfumes (37,5%), alimentação fora de casa (32,0%), lanches, doces e salgadinhos (28,6%), roupas íntimas (26,7%), cremes (22,8%), salão de beleza (21,1%) e contas de celular (20,8%) também foram mencionados.

De acordo com o levantamento, 70,8% das mulheres são as principais responsáveis pela organização da casa e tarefas domésticas. No caso das mulheres casadas ou em união estável, o desequilíbrio é ainda maior: 80,0% delas são as responsáveis por arrumar a casa. Elas também são as maiores responsáveis por cuidados com a roupa (83,0%), limpeza da casa (75,8%), alimentação (77,1%) e criação dos filhos (63,8%). Por isso, seis em cada dez mulheres casadas ou em união estável (57,7%) se disseram sobrecarregadas com as atividades de casa.

Fonte: http://extra.globo.com/