x
Publicado 26/12/2016 10:55:17

Descubra a importância de fazer terapia e qual o melhor método para você

Escolha do profissional, inclusive, vai determinar o progresso das mudanças no comportamento e rotina.

Tratar de certos assuntos da vida pode ser bastante difícil e, em algumas ocasiões, pouco agradável. Com a ajuda de um especialista da área psicológica, no entanto, essa experiência pode se tornar bem eficiente e proveitosa. Conforme essa prática foi crescendo e amadurecendo, passou a servir como forma objetiva e prática de SUPERAR PROBLEMAS EMOCIONAIS COMO DEPRESSÃO, RELACIONAMENTOS, DISFUNÇÕES SEXUAIS, síndrome do pânico, traumas, fobias, ansiedade, tristeza, estresse, entre outros.

ESCOLHA QUEM VAI CUIDAR DE VOCÊ
As consultas podem mudar a vida das pessoas para muito melhor. É primordial verificar QUAL É A PROPOSTA DO PROFISSIONAL envolvido, pois são várias as linhas e abordagens de tratamento. É preciso se SENTIR CONFORTÁVEL PARA EXPOR AQUELES ASPECTOS ÍNTIMOS E DELICADOS. Além disso, a dica é avaliar posturas mais estratégicas e intervencionistas, a fim de que a solução não demore a ser alcançada; assim como quem vai ao médico e busca pela cura em tempo razoável. O normal é ter alta em até 14 sessões.

VIAGEM DA MENTE
O PROCESSO É SEMPRE DE (AUTO)REFLEXÃO. Uma vez por semana costuma ser adequado para isso. Claro que quadros considerados graves demandam frequência maior. Ainda assim, caso não haja condições, fazê-la a cada mês é mais aconselhável do que não ter as sessões. UNIVERSIDADES PÚBLICAS E MUITAS ORGANIZAÇÕES PODEM OFERECER O SERVIÇO DE GRAÇA ou a valores acessíveis – pesquise se na sua cidade tal possibilidade é real.

RESULTADO NA PRÁTICA
Existe sim o risco de o recurso travar ou não fluir como esperado. Portanto, é importante observar se as TRANSFORMAÇÕES POSITIVAS ACONTECEM NA ROTINA e no comportamento. É possível lançar mão de instrumentos de apoio nessa hora, como a HIPNOSE – que leva o paciente a um estado de relaxamento e o estimula a rastrear e RESSIGNIFICAR AS ADVERSIDADES NO INCONSCIENTE.

TIPOS DE TERAPIA
Conheça um pouco dos métodos psicoterapêuticoss mais utilizados atualmente:

PSICANÁLISE: da famosa expressão “FREUD EXPLICA”, foi criada pelo médico austríaco, e é VOLTADA AO AUTOCONHECIMENTO. Emprega a associação livre entre pensamentos, fantasias, emoções e sonhos. É bem retrospectiva e, na prática, deixa o indivíduo se expressar sem censura para que encontre o que está escondido lá dentro (geralmente, na infância). O terapeuta apenas coloca perguntas e apontamentos pertinentes à medida que o atendimento se desenrola.

PSICOLOGIA ANALÍTICA (OU JUNGUIANA): baseada nas pesquisas do suíço Carl Gustav Jung, VISLUMBRA O FUTURO PARA TENTAR SUPERAR OS CONFLITOS INTERIORES. A fala é encorajada livremente, porém, pode haver interferências para não fugir ao raciocínio. Desenhos, pinturas e outras manifestações auxiliam aqui também. O profissional aplica o que Jung batizou de “INCONSCIENTE COLETIVO”, com imagens e experiências comuns a todos os seres humanos, e que interferem na saúde psíquica.

TERAPIA COMPORTAMENTAL: focada no presente e no ALÍVIO DOS SINTOMAS EM CURTO PERÍODO, surgiu nos Estados Unidos. Parte do princípio que o ambiente pode modelar o comportamento. Assim, propõe estratégias que gerem alterações efetivas. Por exemplo, se VOCÊ FOGE DE UM NAMORO SEMPRE QUE FICA SÉRIO, e isso te faz mal, a terapia ensinará a ter uma atitude diferente na próxima vez.

TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL: no começo, era apenas para a depressão; entretanto, foi ampliada para os demais campos. A teoria aponta que as PESSOAS DEPRESSIVAS DESENVOLVERAM CRENÇAS QUANDO CRIANÇAS que lhes tornaram negativas frente aos eventos cotidianos. Cabe ao profissional averiguar detalhadamente as vulnerabilidades, em quais condições ou situações aparecem, e as consequências, a fim de tentar equilibrar o quadro.

TERAPIA SISTÊMICA: compreende o ser na relação com seus diversos sistemas (familiar, escolar, profissional, da sociedade, entre outros), já que todos são interdependentes. A intenção é MODIFICAR O PADRÃO DE RELACIONAMENTO E AS REAÇÕES AUTOMÁTICAS ao que não funciona bem. Pode se dar de modo individual, em grupo ou casal.

GESTALT: o termo alemão se traduz em “configuração”, e BUSCA O AQUI E AGORA. Enxerga o sujeito como um todo (corpo, sensações, sonhos, percepções, etc.) e o induz a restaurar o contato consigo mesmo, com o mundo e os outros que o cercam. O pressuposto é de que cada um é dotado de capacidade de se autorrealizar e desenvolver o próprio potencial.

CONTESLAÇÃO FAMILIAR: A ideia é, realmente, encenar ocasiões passadas ou elaborar outras que possam sobrevir. O participante se sente mais solto para EXTERIORIZAR OS PENSAMENTOS e dilemas morais. É executado não só em consultórios, mas em escolas, projetos comunitários e empresas.

http://www.daquidali.com.br/