x
Publicado 20/01/2018 08:36:34

Depois de 27 anos foragido, acusado de matar amante e taxista na região é preso

Fotografia do processo criminal de 1991

Por G1 Região Serrana

Um homem acusado de matar duas pessoas no município do Carmo, na Região Centro-Norte Fluminense em 1991 foi preso no Paraná, 27 anos depois de cometer os crimes. O acusado, de 55 anos, que segundo a polícia é réu confesso, foi capturado em casa, na capital paranaense, e agora deverá ser julgado por júri popular. A prisão aconteceu nesta quinta-feira, 18. De acordo com a polícia, ele assassinou uma mulher, que seria sua amante, e um taxista.

Foragido da Justiça, José Aurélio Wermlinger acreditava estar impune. De acordo com a legislação brasileira, os crimes por ele cometidos deveriam ter sido prescritos em 2011. No entanto, a prescrição foi suspensa pela Vara Única de Carmo porque José Aurélio não foi encontrado para se defender em juízo. Por isso, o caso agora deverá ir a júri popular.

“Em 1991, esse cidadão tinha família e também tinha uma amante. Ela queria que ele assumisse um relacionamento com ela, e ele não tinha essa intenção. Ele simulou um encontro com ela e a matou a marteladas”, contou o delegado Herberth Tavares, titular da 112a DP (Carmo).

Depois de assassinar a amante com requintes de crueldade, ele roubou e matou um taxista durante a fuga. Ele chegou a ser preso em flagrante à época, mas conseguiu fugir. O delegado sugere que a fuga possa ter sido facilitada.

“Ele ficou preso, mas pouco tempo depois da prisão conseguiu fugir. Acredita-se que ele vinha de família abastada em Carmo e ‘comprou’ uma fuga. Desde então ele vinha vivendo no sul do país”, disse o delegado.

Segundo a polícia, o acusado conseguiu construir nova estrutura de vida em Curitiba. Lá, ele se tornou empresário - atualmente é dono de uma empresa de transporte de documentos com motos. Ele chegou a casar e formar uma nova família, mas afirmou aos policiais que ela não sabia dos crimes que havia cometido.