x
Publicado 14/04/2017 08:29:14

Delator diz que construção de imóveis para vítimas de 2011 bancou eleição 2014

Benedicto Júnior, ex-chefão de infraestrutura da Odebrecht

O ex-diretor da Odebrecht, Benedicto da Silva Júnior, citou em delação premiada que, em 2014, a empresa repassou R$ 5 milhões do valor global recebido para a construção do conjunto habitacional Terra Nova, em Friburgo, para ajudar a bancar a campanha eleitoral do governador Luiz Fernando Pezão. O recurso teria sido uma exigência feita pelo ex-governador Sérgio Cabral, atualmente preso.

Os mais de dois mil apartamentos no Condomínio Terra Nova foram construídos pela Odebrecht - em regime emergencial e sem licitação - para atender vítimas da tragédia climática de 2011 na Região Serrana e também para abrigar moradores de área de risco em Nova Friburgo.

Além da delação gravada em vídeo, o ex-diretor da Odebrecht entregou aos procuradores do Ministério Público Federal planilhas que, supostamente, comprovam o repasse para a campanha eleitoral em setembro de 2014.

Numa das planilhas aparece “Obra Nova Friburgo”, além do alcunha “Proximus”, como Sérgio Cabral era identificado pela empresa. Ao lado, o valor de R$ 5 milhões.

Na delação, o ex-diretor da empresa afirmou que “Pezão não sentou com a Odebrecht para pedir dinheiro”, disse Benedicto Júnior. Ainda segundo ele, os repasses de várias obras - inclusive do Terra Nova - teriam sido exigências de Sérgio Cabral.

As citações a Pezão levaram o ministro Edson Fachin a pedir ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que investigue o governador por suspeita de uso de Caixa 2. O caso foi remetido ao STJ no dia 4.

Segundo a assessoria do governador, “Pezão reafirma que nunca recebeu recursos ilícitos. As doações de campanha foram feitas de acordo com a Justiça eleitoral”, segundo nota à imprensa.