x
Publicado 01/02/2017 11:15:31

Crianças preferem animais de estimação a irmãos, diz estudo

Estudo britânico revela que os mais novos sentem-se mais satisfeitos na presença de animais de estimação.

A presença de um animal de estimação no seio familiar traz benefícios para todos: melhora a sensação de bem-estar, os níveis de relaxamento, felicidade, plenitude e pode ainda contribuir para uma boa saúde geral e para a redução ou eliminação da sensação de solidão.

As crianças são quem mais vibra com a presença de um amigo de quatro patas e sabe-se, agora, que preferem os animais de estimação aos irmãos. Essa é a sugestão de um estudo da Universidade de Cambridge, que foi recentemente publicado no Journal of Applied Devolpmental Psychology e que indica que os mais novos sentem-se mais satisfeitos com a relação que têm com o animal do que com a relação que têm com os próprios irmãos.

Para o estudo, lê-se no site da universidade, participaram 77 crianças britânicas. Todas tinham 12 anos, um animal de estimação e pelo menos um irmão e forma desafiadas a participar em testes de avaliação relativas às relações que tinham.

Depois de analisarem as respostas dadas pelas crianças, os investigadores britânicos conseguiram traçar um padrão: independentemente do animal de estimação em casa, os mais novos dizem sentir-se mais próximos e ter uma melhor relação com o bicho do que com os próprios irmãos, sendo que a intensidade da relação criança-animal era ainda mais evidente quando o cão era o animal de estimação em causa.

Para os investigadores, a preferência das crianças por animais deve-se ao facto dos bichos não só estarem disponíveis para brincar, como também à incapacidade que têm em criticar, algo que dá mais confiança e melhora o bem-estar das crianças, que se sentem compreendidas e amadas.

Os mentores do estudo defendem, ainda, que a presença de um animal de estimação pode ser altamente positiva no desenvolvimento da criança, especialmente a nível social.

http://veja.abril.com.br/