x
Publicado 06/02/2017 10:55:58

Como organizar o orçamento morando em república

Sair da casa dos pais é um grande passo em busca da independência, e ele pode ser dado por vontade ou necessidade – como em uma mudança de cidade para estudar. Nesse momento de pouca experiência e grana curta, uma das melhores alternativas é morar em uma república. Além de poder dividir os custos e economizar, quem opta por essa forma de moradia ainda levará como bagagem muitas experiências, animação e amizades que podem durar a vida inteira.

Porém, se por um lado a economia é grande, a dificuldade em lidar com conflitos e administrar o dinheiro escasso também são latentes. Por isso, vamos ensiná-la a organizar o orçamento da república em que você mora e levar essa fase de um jeito mais leve e tranquilo.

Dividindo as contas
Uma das maiores dificuldades quando se mora em república é entender como ratear as despesas. Afinal, é preciso dividir tudo igualmente ou cada uma paga o que consumiu? A resposta é: depende. Contas como aluguel, água, luz, condomínio e limpeza, por exemplo, devem ser divididas igualmente – afinal, como identificar quem usou mais cada serviço? A exceção fica quando, por um acordo prévio, alguma moradora paga mais do que as demais por ficar em um quarto maior, por exemplo. Se vocês ainda estiverem montando o apartamento, também será necessário ratear o custo de itens de uso comum, como fogão, geladeira e sofá.

Do outro lado, existem aquelas em que é possível identificar quem consumiu mais, como alimentação. Aliás, essa é uma das despesas que mais causa confusão. Na teoria, bastaria fazer a compra de supermercado e dividir a conta entre as moradoras, certo? Na prática, há diferenças substanciais de gostos, quantidade, qualidade etc., e saber equalizar o emocional com o financeiro é muito importante para evitar discórdias e manter a harmonia da república.

Neste caso, é válido que vocês conversem entre si para decidir como procederão. Quando todas comem fora de casa com muita frequência, não há vantagem em fazer a compra no supermercado e dividir igualmente. Uma boa solução é que cada uma compre seus alimentos – e, claro, respeite os pertences umas das outras para não surgir o famoso “quem comeu meu requeijão?”.

E você achava que dar conta de suas próprias despesas era difícil, você precisará repensar seus conceitos agora que está morando com outras pessoas. Cada uma tem seus hábitos, e isso inclui os financeiros – o que aumenta a necessidade de colocar todos os pingos nos is. Essa é a hora de ser mais organizada do que nunca, afinal, vocês deverão gerir o dinheiro da casa juntas.

Uma boa dica é organizar as despesas em planilhas. Tudo o que for comprado deve ser listado ali – e nada de ficar com preguiça e deixar para depois ou ir juntando notinhas e só conferir no fim do mês, ok? Empurrar com a barriga só estimula a desorganização. 

Organizando os gastos, será mais fácil entender onde vocês podem fazer cortes, principalmente se o orçamento estiver apertado. Quem sabe vocês não podem abrir mão da diarista e arregaçar as mangas para limpar o apartamento vocês mesmas? Ou, quem sabe, a TV a cabo não esteja pesando e possa ser cortada?

Convivendo numa boa
Não podemos mentir: apesar de garantir economia, conviver com pessoas completamente diferentes de você pode dar um trabalhão. Isso significa que surgirão conflitos – e caberá a vocês resolverem eles com maturidade. É válido tirar um momento da semana para tratar as pendências com seriedade. Nada de ficar repetindo o assunto de dinheiro toda hora ou cobrando participação e cooperação. Aproveite estes momentos para pedir que todas cumpram seus deveres e responsabilidades. Ficar falando fora de hora sobre um determinado problema torna o clima mais tenso do que o necessário.

http://financasfemininas.uol.com.br/