x
Publicado 07/12/2016 12:11:08

Cerca de 6% das famílias atrasarão contas para comprar presentes das crianças no Natal

Este ano não está fácil nem para o Papai Noel, e uma pesquisa mostra que 53,8% dos pais afirmam que seus filhos participam do processo de decisão das compras de presentes de Natal.

Na maioria das vezes, a escolha é feita em conjunto com a família (40,5%), mas em 13,3% dos casos a decisão é exclusiva das próprias crianças.

O estudo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) também revelou que, entre as mães, é mais comum que o pequeno escolha sozinho o presente (18,4%, contra 8,6% dos homens), enquanto para os pais, a escolha compartilhada entre criança e adulto é mais comum (48,4% dos homens contra 31,9% das mulheres).

Para agradar os filhos no Natal, 6,1% dos pais deixarão de pagar alguma conta, sacrificando as finanças da casa. Entre indivíduos das classes C, D e E, o percentual sobe para 8,1%. Neste fim de ano, as contas básicas, como água, luz e telefone (2,9%), cartão de crédito (2%) e impostos de início de ano (1,2%) serão as mais atrasadas com essa finalidade.

A pesquisa também mostrou o que acontece quando o presente recebido decepciona a criança. Quase metade (49,1%) dos pais entrevistados explicaram que a frustração é compensada com a promessa de que a criança ganhará o presente desejado em outra ocasião. Em 34,2% dos casos, as crianças ficam tristes e frustradas, mas logo se esquecem do pedido ou não pedem outro. Entretanto, 0,9% dos pais relataram que os filhos geralmente choram, fazem birra e até chantageiam na esperança de ganhar o presente desejado.