x
Publicado 21/02/2017 12:17:03

A pílula do dia seguinte: esclarecendo dúvidas

O carnaval está aí, batendo na porta do Brasil. Muita gente já está pensando em fazer as malas para viajar e aproveitar a festa mais animada do planeta. Na bagagem pessoal de todos deveria estar um item de fundamental importância para dar tranquilidade e segurança não só durante o carnaval, mas para o resto da vida: a camisinha.

Só que na vida real não é bem assim. Uns se esquecem, outros dizem que a camisinha atrapalha, há a turma do “corta o clima” e muitas das mais imaginativas explicações para transar sem proteção.

Resultado: depois de um momento de grande empolgação e energia, muitas moças percebem que transaram sem camisinha e sem proteção anticonceptiva. Não dá outra: no dia seguinte, com o pensamento lúcido de volta, bate o pavor ante a possibilidade de uma gravidez nem um pouco planejada.

O que fazer? A pílula do dia seguinte, ou contracepção de emergência, pode ser uma alternativa indicada pelo médico. Por isso é importante entender como funciona, quais são suas indicações, contraindicações e efeitos colaterais mais importantes. Vamos lá.

- Tive uma relação desprotegida. Quanto tempo tenho para utilizar a pílula do dia seguinte?
A maioria das pílulas disponíveis no mercado devem ser tomadas no máximo até 72 horas (3 dias) depois da relação desprotegida. Em alguns casos pode funcionar até 5 dias após. Na verdade, quanto mais cedo, melhor. Nas primeiras 24 horas, a eficácia chega perto de 90%. Idealmente deve ser tomada logo após o sexo sem proteção. Se for utilizada depois de 3 dias não tem mais a eficácia garantida. Isso vale para a maioria dos produtos à disposição. Os produtos são vendidos na forma de 1 comprimido ou de 2 comprimidos que podem ser tomados de uma vez ou com intervalo de 12 horas. Leia atentamente as instruções e siga a orientação do médico.

- Como funciona a pílula do dia seguinte?
Esta pílula contém uma dose super alta de hormônio que tem por objetivo impedir a ovulação e/ou impedir a fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Caso a mulher já tenha ovulado, a pílula não deixa formar o endométrio gravídico, isto é, a camada necessária para implantação do óvulo fecundado no útero. Ocorre a descamação, que é menstruação. Se o óvulo fecundado já estiver implantado, a gravidez prossegue. Não é, portanto, uma pílula abortiva. Importante saber que doses hormonais muito altas podem fazer mal à saúde das mulheres; por isso, essa pílula deve ser utilizada só em casos de real emergência. Jamais se deve utilizá-la como método contraceptivo habitual.

- Depois da pílula do dia seguinte, quando deve vir a menstruação?
Normalmente a menstruação vem de 1 a 4 semanas depois da pílula. Se não vier depois de 4 semanas, sugere-se um teste de gravidez. Importante: a pílula do dia seguinte não tem efeito cumulativo. Portanto, use camisinha ou outra forma de proteção até a menstruação acontecer.

- Quais os efeitos colaterais da pílula do dia seguinte?
Os principais efeitos são náusea, vômito, diarreia, dor de cabeça, retenção de líquidos e cansaço. Se houver vômitos ou diarreia até 2 horas após a ingestão da pílula, importante falar com o médico pois a absorção da mesma pode ter sido comprometida. Os efeitos colaterais podem durar de 2 a 3 dias.

- Tomei a pílula do dia seguinte e depois de 5 dias tive outra relação desprotegida. Posso tomar de novo?
Veja bem: esta pílula tem doses muito altas de hormônio. Por isso não deve ser tomada repetidamente. Doses altas de hormônios podem causar problemas importantes para sua saúde. Evite, portanto, tomar a pílula repetidas vezes.

- Depois de tomar a pílula do dia seguinte sigo com minha cartela da pílula normal?
Lembre-se de tomar corretamente a sua pílula tradicional para não precisar recorrer à do dia seguinte. No entanto, se você precisou recorrer à do dia seguinte, o mais indicado é que você espere a menstruação. Depois comece novo ciclo com nova cartela. Proteja-se com a camisinha até a menstruação descer.

- Quem não deve tomar a pílula do dia seguinte? Quais as contraindicações?
A pílula não deve ser tomada por mulheres que estão amamentando, nem por aquelas que têm problemas metabólicos, cardiovasculares, hipertensão, alterações na coagulação do sangue ou obesidade mórbida. Vale sempre lembrar que o médico é quem deve orientar cada caso individualmente.

- A pílula do dia seguinte precisa de receita médica?
Não. Pode ser adquirida nas farmácias sem receita.

Use camisinha sempre. Não “corta o clima”, nem “atrapalha”. Ao contrário: garante o seu clima de alegria durante o carnaval e todos os outros dias do ano.

http://g1.globo.com/bemestar/